O que você procura?

Concluída selagem do segundo trecho de obras do Promaben

As equipes de Engenharia do Consórcio TPF/Synergia e da Unidade Coordenadora do Programa de Saneamento da Bacia da Estrada Nova – (UCP/Promaben), da Prefeitura de Belém, encerraram nesta terça-feira, 04, a selagem de 265 imóveis do segundo trecho do Programa, localizado na Avenida Bernardo Sayão entre Fernando Guilhon e Quintino Bocaiúva, na Sub Bacia 2.

“Agora a gente está fazendo o processamento dos dados que foram levantados, o quantitativo de imóveis que foram selados e preparar o relatório de selagem para encaminhar para a empresa responsável para o início do cadastramento socioeconômico e do cadastramento físico. Os imóveis estão todos selados nessa área”, informou o engenheiro Arthur Amaral, assessor da UCP/Promaben.

“Ficamos muito felizes. Para nós isso é muito satisfatório, estamos seguindo conforme o cronograma e é uma vitória muito grande num Programa tão importante como esse”, comemorou a engenheira, Flávia Mendes, do consórcio TPF/Synergia.

A selagem consiste na demarcação da linha da obra e indica qual o impacto delas nos imóveis que serão incluídos no Projeto Social do Promaben. A selagem é feita em seguida com a aplicação de um adesivo, chamado Placa de Selagem, que contém o número do cadastro social, que é colada em local visível na fachada. Esta identificação vai facilitar o processo de aplicação das entrevistas do cadastramento e do recadastramento social.

Após a selagem é feito o congelamento da área, onde não poderão mais ser construídos novos imóveis e que será reservada para os estudos de avaliação feitos a partir do cadastramento físico, assim como para garantir a segurança dos moradores das áreas de risco.

Cadastro Físico – As equipes de Engenharia do consórcio TPF/Synergia e da UCP/Promaben interromperam, nesta quinta-feira, 06, o trabalho de campo do cadastramento físico dos imóveis atingidos pelas obras do Promaben para produzir os primeiros laudos de avaliação dos imóveis do primeiro trecho.

“Nós passaremos todas essas medidas para um desenho por computador para gerar a planta baixa que será a base para a estimativa do valor dos imóveis nos laudos de avaliação”, explicou a engenheira do consórcio TPF/Synergia, Flávia Mendes.

O cadastro físico consiste no levantamento físico das medidas dos imóveis para elaboração da planta baixa da edificação e do terreno de todos as unidades habitacionais localizadas no respectivo trecho.

Essas plantas são georreferenciadas com todas as informações técnicas dos terrenos e benfeitorias necessárias para que sejam produzidos os laudos de avaliação dos imóveis, com os valores devidamente atualizados segundo os preços de mercado vigentes.

O cadastramento físico está sendo realizado em 91 imóveis localizados na Avenida Bernardo Sayão, entre a Rua dos Mundurucus e a Rua Fernando Guilhon que corresponde ao primeiro trecho e que já foram selados e as famílias já responderam ao cadastramento social.

Compartilhe esta notícia:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email

Notícias relacionadas: