Promaben vai implantar a mais eficiente tecnologia de Tratamento de Esgoto Sanitário da RMB

Sessenta pessoas participaram da primeira reunião presencial da Consulta Pública sobre os Estudos Ambientais do Sistema de Esgotamento Sanitário da Bacia da Estrada Nova que está sendo promovida pela Prefeitura de Belém, por meio do Programa de Saneamento da Bacia da Estrada Nova – Promaben. A reunião foi, nesta quinta-feira, 14/10, no Boteco do Combu, na ilha do Combu.  Os ribeirinhos acompanham a apresentação dos Estudos Ambientais do Sistema e puderam fazer perguntas sobre a obra que vai beneficiar indiretamente aquela região, onde é muito explorada a atividade turística, com a diminuição da poluição do rio Guamá.

A reunião faz parte da Consulta Pública híbrida que está aberta de forma online desde o dia 04 de outubro pelo site sesbaciaestradanova.belem.pa.gov.br, e vai até 22. O Promaben optou pela forma híbrida de consulta para alcançar um número maior de pessoas e para respeitar os limites impostos pelas barreiras sanitárias da pandemia.

Todas as informações sobre o Sistema de Esgotamento Sanitário podem ser encontradas no site. Onde também é possível fazer perguntas que serão respondidas antes do encerramento da consulta também no site.

Saneamento  

O Sistema de Esgotamento Sanitário da Bacia da Estrada Nova será composto por uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) e sete Estações Elevatórias de Esgoto. Serão construídos ainda 110 quilômetros de redes de esgoto que interligará as casas à ETE. As Estações de Tratamento de Esgoto transformam o esgoto em água tratada, ou seja, o esgoto in natura de parte da Bacia da Estrada Nova deixará de chegar ao rio Guamá. Alex Ruffeil, subcoordenador Ambiental do Promaben, explica que a ETE,   pensada para ser a mais eficiente de Belém, “passou por rigorosos estudos de engenharia e ambiental”.

A Estação ficará numa área limítrofe ao Canal da Quintino, às margens do Rio Guamá, na Sub-bacia 2, e a previsão de vazão da Estação é de uma média de 143,26 litros por segundo. Para chegar até a ETE, as águas coletadas passarão pelas estações elevatórias de esgoto que vão bombear o material das áreas mais baixas para a ETE. Todo o material tratado chegará ao rio via emissário subaquático. Com a ETE, deixarão de chegar aos rios cerca de 10 milhões de litro de esgoto não tratado por dia. 

“A atual etapa do programa está orçada em cerca de US$ 144 milhões, envolvendo a Prefeitura de Belém e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). A ETE tem previsão de ser entregue até o final de 2022”, informou Rodrigo Rodrigues. 

O projeto prevê o atendimento a 84 mil moradores do Jurunas e parte dos bairros de Batista Campos, Cidade Velha e Condor, incluindo a Orla de Belém.